quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A biodiversidade amazônica pela visão de jovens naturalistas


Alunos que venceram a 5ª edição do Prêmio Márcio Ayres mostram como a variedade de animais e plantas faz parte do cotidiano de escolas, produtores, famílias e comunidades do Pará

Agência Museu Goeldi - Dezessete atividades educativas, quinze municípios mobilizados, 40 escolas participantes, sete finalistas. Depois de uma longa jornada, a quinta edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas terminou no dia 4 de dezembro com o anúncio dos primeiros colocados em cerimônia aberta ao público, realizada no Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi. Entre os melhores trabalhos, os temas de zoologia foram os preferidos dos estudantes nesta edição, dominada pelas escolas públicas. Leia mais no Portal MPEG.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Quem vence o Prêmio Márcio Ayres?


É a primeira vez que apenas alunos de escolas públicas disputam os primeiros lugares do concurso para Jovens Naturalistas. Na 5ª edição do Prêmio, os escolares apresentam estudos sobre peixes em São Domingos do Capim, abelhas sem ferrão, aranhas em escola de Belém, a terminologia vulgar do açaizeiro em forma de dicionário, o processo de extinção da Arara Azul e as bromélias amazônicas sob dois enfoques.

Agência Museu Goeldi – Com um olhar direcionado para a biodiversidade da Amazônia, sete jovens naturalistas elaboraram trabalhos de investigação sobre a fauna e flora da região e concorrem à 5ª edição do Prêmio José Márcio Ayres Para Jovens Naturalistas - PJMA. O concurso é uma realização do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e da Conservação Internacional (CI-Brasil). Os vencedores serão anunciados nesta terça-feira, 4, às 10h, durante a cerimônia de encerramento, no Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, localizado no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi.
O Prêmio é destinado a estudantes do Estado do Pará matriculados nos níveis de ensino Fundamental e Médio, orientados por professores de suas escolas em trabalhos investigativos individuais ou em dupla.  Nesta edição, as pesquisas foram desenvolvidas nos municípios de Belém, Igarapé-Miri, São Domingos do Capim e Barcarena.
Os concorrentes participam da última etapa do concurso nesta segunda, 3/12, fazendo uma  exposição oral de suas pesquisas, no Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira.
Quem está na disputa pelos primeiros lugares nas duas categorias do Prêmio Márcio Ayres? Pelo Ensino Médio, quem concorre ao prêmio são:

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

“Espécies ameaçadas de extinção”.


O Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas convida você a descobrir um pouco mais sobre a biodiversidade da Amazônia. Você sabia que a nossa região possui a maior biodiversidade do planeta? E você sabia que muitas dessas espécies correm o risco de desaparecer? Confira quais são essas espécies de animais e plantas na videotrilha “Espécies ameaçadas de extinção”.
Para preservar as espécies amazônicas, precisamos de políticas públicas que valorizem a biodiversidade, o que pode ser feito a partir da pesquisa e investigação científica. 

Professor, convoque seus alunos! Estudante, chame seu professor e juntos entrem no universo da ciência e ganhem prêmios! Inscrevam seus trabalhos nas categorias “ensino fundamental” e “ensino médio” até o dia 31 de outubro. Os melhores artigos terão seus autores premiados (professor e aluno) e todos ganham nesse processo de educação para a ciência e biodiversidade. Inscreva-se já! 

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Confira a Websérie Naturalistas do séc XXI


Hoje o Prêmio Márcio Ayres para Jovens Naturalistas convida você a conhecer histórias de alguns dos vencedores deste concurso que premia estudantes, professores e escolas de ensino fundamental e médio do Estado do Pará. Trata-se da websérie Naturalistas do Século XXI, uma produção do Laboratório Multimídia de Comunicação do Museu Paraense Emílio Goeldi. Nesta websérie, você confere a trajetória de estudantes que ingressaram no mundo da ciência por meio da observação de sua realidade. Assista em http://www.youtube.com/playlist?list=PLmF_djNxPm8QndenX0ObB1ABn7N2_oLPo os nove episódios que mostram como simples inquietações se transformaram em objetos de pesquisa.

Aproveite e inscreva seu trabalho até 31 de outubro de 2012! Leia o regulamento e saiba mais informações em www.marte.museu-goeldi.br/marcioayres.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Prêmio Márcio Ayres estende prazo para inscrição de trabalhos

Estudantes do ensino fundamental e médio do Pará, da rede pública e particular, conseguiram mais tempo para concorrer à quinta edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas (PJMA). O prazo final para entrega dos trabalhos foi adiado para 31 de outubro de 2012. 

Criado em 2003, o Prêmio é fruto da parceria entre o Museu Paraense Emílio Goeldi e a Conservação Internacional do Brasil. Em sua quinta edição, conta com o apoio do projeto Escola da Biodiversidade Amazônica – Ebio, subprojeto do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia

Mais que um concurso, esta iniciativa é um processo educativo que incentiva os estudantes a investigarem a Biodiversidade Amazônica, com o objetivo de ampliar a divulgação e a discussão deste assunto nas escolas da rede pública e privada. Saiba mais sobre como se inscrever lendo a matéria completa no Portal MPEG.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Websérie Naturalistas do Século XXI - Episódio 7

Você toma açaí diariamente? Essa foi uma das perguntas que o estudante Denner Ferreira fez aos moradores do município de Igarapé-Miri, no Pará. Na pesquisa que garantiu ao jovem pesquisador o terceiro lugar na terceira edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas, Denner realizou questionários a fim de saber qual a importância do açaí na alimentação dos habitantes da cidade que é a maior produtora de açaí do mundo. Quer saber o que ele descobriu? Assista ao sétimo episódio da websérie Naturalistas do Século XXI: Fruto nosso de cada dia - o açaí em Igarapé-miri.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Pororoca da Biodiversidade 2012

No dia 05 de junho de 2012, Dia Internacional do Meio Ambiente, aconteceu no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi a Pororoca da Biodiversidade Amazônica. Foi o último evento da 5ª edição do Prêmio Márcio Ayres para Jovens Naturalistas, uma iniciativa do Museu Goeldi, da Conservação Internacional e com o apoio da Escola da Biodiversidade Amazônica. 
O evento, que teve como tema "Conhecendo os bastidores da ciência", apresentou diversas atividades para estudantes das redes pública e privada de ensino, tais como jogos, mostra de vídeos, oficinas, trilhas e exposição das diversas áreas de pesquisa que atuam no Museu. Confira um pouco mais no vídeo abaixo, e para mais informações acesse a reportagem no site do Prêmio Márcio Ayres.
video

terça-feira, 19 de junho de 2012

Dia de ciência e meio ambiente


A Pororoca da Biodiversidade Amazônica mostrou pesquisas científicas realizadas pelo Museu Goeldi e práticas educativas para a biodiversidade

Alunos, professores e visitantes do Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi tiveram um encontro com a ciência e o ambiente na Pororoca da Biodiversidade Amazônica, realizada em 5 de junho de 2012, no Dia Mundial do Meio Ambiente. O evento foi promovido pelo Prêmio José Márcio Ayres (PJMA), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e Escola da Biodiversidade Amazônica (EBio)/INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia)

O evento ao ar livre apresentou resultados de pesquisas do Museu Goeldi através de painéis, banners, acervos de coleções científicas, teatro de bonecos, jogos didáticos e explicações de pesquisadores e bolsistas. A Pororoca contou também com oficinas de iniciação científica e de máscaras com material reciclado, trilha de observação de insetos, exibição da coleção didática, slide show de répteis e anfíbios das serras das Andorinhas e do Pardo (ambas localizadas no Pará), vídeos de educação ambiental e lançamento de episódios da websérie Jovens Naturalistas do Século XXI. Leia mais no site do Prêmio Márcio Ayres.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Museu promove Pororoca da Biodiversidade Amazônica

O evento reúne uma programação sobre ciência e biodiversidade amazônica voltada para estudantes e professores das escolas do estado

Visitantes_podero_conhecer_as_pesquisas_realizadas_pelo_MuseuAgência Museu Goeldi - 5 de junho de 2012 é Dia Mundial do Meio Ambiente e também dia de participar da Pororoca da Biodiversidade Amazônica no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi: uma mostra diversificada de projetos, métodos e ferramentas de pesquisa sobre a diversidade biológica da Amazônia e sua relação com as culturais regionais. O evento é promovido pelo Prêmio José Márcio Ayres (PJMA), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e Escola da Biodiversidade Amazônica (EBio/INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia). O evento também faz parte das atrações da nova exposição – O Museu Que Voce Não Conhece – na Rocinha do Goeldi, aberta a visitação pública a partir do dia 1 de junho de 2012.
Em tupi “pororóka” significa “estrondo”. Na Amazônia, a palavra designa as grandes ondas dos rios amazônicos, que conseguem levar tudo o que há pela frente. Na Pororoca da Biodiversidade Amazônica o conhecimento é o que inicia uma grande onda de reflexões e percepção crítica da nossa região. Neste ano, o tema “Conhecendo os bastidores da ciência” convida os visitantes a entrar em contato não apenas com a ciência, mas com aqueles que a produzem.
Atividades – Ao lado do Castelinho, vinte stands reunirão pesquisas desenvolvidas pelo Museu Goeldi (Zoologia, Botânica, Ciências Humanas e Ciências da Terra e Ecologia), pelas equipes de educação do Museu Goeldi e da Universidade do Estado do Pará, além de trabalhos vencedores de edições passadas do PJMA. Amanda Monte (3º lugar do Ensino Fundamental/2ª edição do Prêmio) apresenta “Aquarela Amazônica: estudo das interações comportamentais das aves aquáticas do Parque Zoobotânico”; Marcos Cruz (2º lugar do Ensino Médio/2ª edição) fala sobre o trabalho “Observação do comportamento, sobretudo adaptativo, da coruja suindara (Tyto Alba) em áreas urbanas de Belém-PA”; Mariana Galuppo (1º lugar do Ensino Fundamental/4ª edição) apresenta “Diversidade de espécies arbóreas amazônicas na Praça Batista Campos”; e Wescley Pereira (2º lugar do Ensino Médio/4ª edição) traz o estudo “Atributos dermatológicos do muco da lesma aplicado em seres humanos”. Alguns destes jovens naturalistas foram protagonistas da websérie Naturalistas do Século XXI, onde contaram o processo de pesquisa e a experiência de ter participado do Prêmio.
A Trilha de Observação de Insetos, promovida pelo Núcleo de Visitas Orientadas do Parque Zoobotânico (NUVOP/MPEG), terá como objetivo despertar nos visitantes a percepção sobre os insetos. Serão 10 pontos de interpretação no Parque com monitores destacando a presença de abelhas, cigarras, borboletas, formigas, cupins, moscas e insetos aquáticos. A equipe técnica da Entomologia do Museu Goeldi fará parte desta atividade, mostrando insetos e armadilhas utilizadas para coleta em campo. Esta atividade continuará durante o mês de junho, todas as terças e quintas-feiras (com exceção do dia 07/06).
Também será realizada a Oficina de Ciência, pelo Laboratório de Ecologia de Insetos (MPEG). Com atividades lúdicas e educativas, a oficina tem como objetivo trabalhar conceitos básicos, como biodiversidade e evolução, de forma introdutória para crianças e jovens.
Para participar da Trilha de Observação de Insetos e da Oficina de Ciência, é necessária inscrição prévia pelo e-mail nuvop@museu-goeldi.br ou pelo telefone 3182-3219. Ainda haverá Mostra de Vídeos, com algumas sessões comentadas.
Lançamento de episódios – Durante a Mostra de Vídeos, serão lançados os três últimos episódios da websérie “Naturalistas do Século XXI”. Em “Fruto nosso de cada dia – o açaí em Igarapé-Miri”, Denner Ferreira conta como realizou o trabalho que conquistou o 3º lugar do Ensino Fundamental na 4ª edição do PJMA. O assunto de Denner é o consumo de açaí em uma comunidade do município de Igarapé-Miri (PA). “Três etapas de uma busca – o perfil do jovem naturalista” é um websode interativo dividido em três partes, cada uma referente a um trabalho de Wescley Pereira. O jovem cientista participou e venceu três edições do PJMA. A websérie encerra com “Entendendo o invasor – os cupins do Acará”, o estudo de Raimundo Oliveira sobre os danos causados pelos cupins em residências do seu município, o Acará (PA), que lhe rendou o 1º lugar do Ensino Fundamental na 1ª edição do PJMA e uma mobilização pela educação no Acará que envolveu a Secretaria Municipal de Educação, as escolas, pesquisadores do Museu Goeldi e a organização do Prêmio.
A série, produzida pelo Móvel – Laboratório Multimídia de Comunicação Pública da Ciência do Museu Goeldi, é dividida em 9 episódios, que resgatam a trajetória de vencedores do Prêmio Márcio Ayres. Você pode conferir todos os episódios na página do Museu Goeldi no Youtube.
PJMA - Criado em 2003, em uma parceria entre o Museu Goeldi e a Conservação Internacional do Brasil, o Prêmio Márcio Ayres realiza sua quinta edição com o apoio do projeto Escola da Biodiversidade Amazônica – Ebio, subprojeto do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia. O Prêmio incentiva estudantes de ensino fundamental e médio a inscreverem trabalhos científicos sobre o tema biodiversidade, com o objetivo de ampliar a divulgação e a discussão deste assunto nas escolas da rede pública e privada. As inscrições vão até 20/08/12. Mais informações no site do Prêmio e pelo e-mail premio@museu-goeldi.br.
Serviço: Pororoca da Biodiversidade Amazônica, dia 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, a partir das 9h no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi. Entrada gratuita para estudantes, professores e escolas. Inscreva-se pelo e-mail nuvop@museu-goeldi.br ou pelo telefone 3182-3219.
Texto: Luena Barros e Joice Santos


POROROCA DA BIODIVERSIDADE AMAZÔNICA
Conheça os bastidores da ciência
5 de junho de 2012 – Dia Mundial do Meio Ambiente
Local: Parque Zoobotânico do Museu Goeldi
Horário: 9h às 16h30
STANDS
1. Populações Ribeirinhas – Relações do Homem com o Ambiente
2. Plantas utilizadas no artesanato indígena Ka´apor
3. Répteis e Anfíbios das Serras das Andorinhas e do Pardo.
4. Mamíferos aquáticos na Amazônia
5. Diversidade de insetos na Amazônia
6. Borboletas da Amazônia
7. Modelagem da distribuição de espécies vegetais na Amazônia
8. Anatomia vegetal
9. O voo adaptado das sementes
10. Carpoteca
11. Fibras e vegetais e sua utilização artesanal
12. Coleção Didática Emília Snethlage
13. Kits e jogos educativos
14. Escola da Biodiversidade Amazônica/ NECAPS
Barraca do Prêmio Márcio Ayres
15. Vencedores das edições anteriores
16. Aquarela Amazônica: Estudo das interações comportamentias das aves aquáticas do Parque Zoobotânico
17. Atributos dermatológicos do muco da lesma aplicado em seres humanos
18. Observação do comportamento, sobretudo adaptativo, da coruja Suindara (Tytoalba) em áreas urbanas de Belém-Pa
19. Diversidade de espécies arbóreas Amazônicas da Praça Batista Campos
Programação Especial
20. *Trilha de insetos – NUVOP (Esta ação acontecerá toda 3ª e 5ª do mês de junho, menos no feriado do Corpus Christi - 7/6)
21. *Ação Jardim botânico vai a escola – NUVOP (voltado para Educação Infantil)
22. *Oficina de Ciência do Laboratório de Comunidades de Insetos
23. Mostra de Vídeos com Lançamento de episódios da websérie Naturalistas do Século XXI
* Inscreva-se no Núcleo de Visitas Orientadas do Museu Goeldi, através do email nuvop@museu-goeldi.br ou pelo telefone 3182-3219
Promoção: Prêmio José Márcio Ayres Para Jovens Naturalistas – 5ª edição
Museu Paraense Emílio Goeldi
Apoio: Escola da Biodiversidade Amazônica – Ebio/ INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia, CNPq, MCTI, Fapespa e UEPA

“Websérie Naturalistas do Século XXI – do açaí a lesma e cupins”

A primeira websérie de divulgação científica da Amazônia apresenta histórias de participantes do Prêmio Márcio Ayres para demonstrar aos jovens que investigar a biodiversidade da região é uma aventura prazerosa e transformadora

Vdeos_feitos_por_Denner_em_Igarap-Miri_foram_usados_no_7_episdioAgência Museu Goeldi - Qual a importância do açaí, dos cupins ou do muco de lesmas? A diversidade de experiências percebidas na relação entre as populações e a natureza amazônica se tornou objeto de pesquisa para os estudantes paraenses. Três jovens pesquisadores - Denner Ferreira, Raimundo Oliveira e Wescley Pereira - investigaram a biodiversidade amazônica e levaram para suas vidas o Prêmio José Márcio Ayres Para Jovens Naturalistas - PJMA. As histórias dos 3 rapazes são contadas nos últimos episódios da websérie “Naturalistas do Século XXI”, e serão lançados no dia 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, durante a Pororoca da Biodiversidade Amazônica.
Novos episódios, mais histórias - Em 2003, surgia o PJMA e com ele um estímulo para a iniciação científica nas escolas. No Acará (PA) ocorreu uma ampla mobilização envolvendo Prêmio, as escolas e a Secretaria de Educação, resultando na participação de vários trabalhos do município e a vitória dos então estudantes Joel Rodrigues e Raimundo Oliveira. Com o trabalho sobre os danos causados pelos cupins nas residências do Acará, Raimundo levou o 1º lugar do Ensino Fundamental e descobriu novos horizontes, na biodiversidade, na ciência e definiu um rumo para sua vida.
O episódio “Entendendo o invasor – os cupins do Acará” mostra o trabalho de Raimundo, que fez um levantamento das moradias afetadas em três bairros – o primeiro localizado ao centro da cidade, o segundo em uma área intermediária e o terceiro em uma área afastada do centro. No decorrer da pesquisa, identificou duas espécies (Nasutitermes surinamensis e Termes fatalis) e compreendeu uma causa da infestação: com a retirada da floresta, os cupins migraram para as residências. A trajetória de Raimundo não foi apenas a de uma vitória pessoal, mas a de um município inteiro.
Uma viagem com a família ao município de Igarapé-Miri (PA) fez surgir em Denner Ferreira a curiosidade de investigar o consumo de açaí. O estudante percebeu como a fruta era um elemento essencial na alimentação da comunidade que visitou e, a partir do que viu, experimentou e pesquisou, construiu o trabalho que lhe conferiu o 3º lugar do ensino fundamental na 4ª edição do PJMA. O websode “Fruto nosso de cada dia – o açaí em Igarapé-Miri” conta a pesquisa que Denner realizou, por meio de questionários com famílias locais. O estudo enfatiza a importância cultural do açaí para a população do município.
A_participao_de_Wescley__contada_em_um_vdeo_interativo
A história de Wescley Pereira é um pouco diferente: o estudante se empenhou e obteve grandes vitórias em três edições do PJMA. Em sua primeira participação, na 2ª edição, ainda no 6º ano do Ensino Fundamental, observou o comportamento do macaco coatá-da-testa-branca (Ateles marginatus) em cativeiro no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi. A investigação, realizada em grupo com Bruno Rodrigues e Laura Oliveira, concluiu que, em cativeiro, a espécie fica mais suscetível a doenças e diminui a sua capacidade reprodutiva e variabilidade genética. O grupo não foi vencedor, mas recebeu Menção Honrosa pelo trabalho.
Já em sua segunda participação no PJMA, Wescley obteve a 2ª colocação na categoria Ensino Fundamental. Seu trabalho foi sobre as propriedades nutricionais e medicinais da fruta araçá-boi (Eugenia stipitata), que contém vitaminas A, B e C, além de carboidratos e proteínas. Mas foi sua terceira participação que deu o que falar: o trabalho sobre as propriedades dermatológicas do muco de lesma (Limax cinerens) rendeu não apenas o 2º lugar na categoria Ensino Médio, mas também a repercussão em jornais em nível nacional. Ao escutar o relato de sua avó, Wescley foi acompanhar o tratamento da pele de senhoras de uma comunidade de Mosqueiro com muco de lesma. É com esse trabalho que Wescley também participa de um stand da Pororoca da Biodiversidade, apresentando os “Atributos dermatológicos do muco da lesma aplicado em seres humanos”.
O websode “Três etapas de uma busca – o perfil do jovem naturalista” faz uma apresentação de Wescley, o perfil de um jovem naturalista que se encantou com a ciência e com a biodiversidade amazônica, fazendo disso seu objetivo profissional. Atualmente, ele cursa Medicina e deseja trabalhar com etnociência. O episódio traz também um formato interativo, convidando o usuário a optar qual dos três trabalhos de Wescley quer assistir.
Websérie Naturalistas do Século XXI - É uma produção do Móvel – Laboratório Multimídia de Comunicação Pública da Ciência do Museu Goeldi. Dividida em 9 episódios, a série resgata a trajetória de vencedores do Prêmio Márcio Ayres. Você pode conferir os episódios anteriores na página do Museu Goeldi no Youtube.
A_histria_do_acaraense_Raimundo_encerra_a_websrie

Em “Um prêmio em quatro edições”, você conhece a história do Prêmio Márcio Ayres e dos jovens naturalistas personagens da websérie; no segundo episódio “Uma amiga injustiçada – a vida da coruja Suindara em Belém”, Marcos Cruz conta como o interesse pelas corujas mudou seu olhar sobre a natureza, desmitificando a lenda Rasga-Mortalha. No terceiro websode, “Um olhar além – as árvores da Praça Batista Campos”, Mariana Galuppo revela quais são as espécies arbóreas de uma das praças mais belas do Brasil. Em “Descobrindo a flora amazônica – as pteridófitas do Parque do Utinga”, Rita dos Santos apresenta uma nova ocorrência de planta encontrada durante a pesquisa para o Prêmio Márcio Ayres. O quinto, “Conhecimento sob nossos pés - as formigas do Curió-Utinga” traz Erick Santos, Felipe França e Vítor Leitão contando o seu estudo de identificação de formigas na Praça das Castanheiras, na região metropolitana. Em “Garças da Batista Campos – da praça para a cidade”, Kauê Machado explica como realizou seu estudo comportamental e de diversidade de garças encontradas na Praça Batista Campos, ao centro de Belém.

PJMA –
Naturalistas eram os estudiosos que se aventuravam em regiões desconhecidas, observando e descrevendo a fauna, a flora, as populações residentes e o meio ambiente que seus sentidos captavam. É esse espírito de curiosidade, aventura e olhar crítico que o Prêmio José Márcio Ayres busca desenvolver em jovens escolares. Criado em 2003, em uma parceria entre o Museu Goeldi e a CI Brasil, o PJMA realiza sua quinta edição com o apoio do projeto Escola da Biodiversidade Amazônica – Ebio, subprojeto do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia. O Prêmio incentiva estudantes de Ensino Fundamental e Ensino Médio a inscreverem trabalhos científicos sobre o tema biodiversidade, com o objetivo de ampliar a divulgação e a discussão deste assunto nas escolas da rede pública e privada. As inscrições vão até 20/08/12. O Prêmio tem apoio da Funtelpa e da Secretária de Educação do Pará. Mais informações no site do Prêmio e pelo e-mail premio@museu-goeldi.brm prêmio em quatro edições”, você conhece a história do Prêmio Márcio Ayres e dos jovens naturalistas personagens da websérie; no segundo episódio “Uma amiga injustiçada – a vida da coruja Suindara em Belém”, Marcos Cruz conta como o interesse pelas corujas mudou seu olhar sobre a natureza, desmitificando a lenda Rasga-Mortalha. No terceiro websode, “Um olhar além – as árvores da Praça Batista Campos”, Mariana Galuppo revela quais são as espécies arbóreas de uma das praças mais belas do Brasil. Em “Descobrindo a flora amazônica – as pteridófitas do Parque do Utinga”, Rita dos Santos apresenta uma nova ocorrência de planta encontrada durante a pesquisa para o Prêmio Márcio Ayres. O quinto, “Conhecimento sob nossos pés - as formigas do Curió-Utinga” traz Erick Santos, Felipe França e Vítor Leitão contando o seu estudo de identificação de formigas na Praça das Castanheiras, na região metropolitana. Em “Garças da Batista Campos – da praça para a cidade”, Kauê Machado explica como realizou seu estudo comportamental e de diversidade de garças encontradas na Praça Batista Campos, ao centro de Belém.
Pororoca da Biodiversidade – No Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, o PJMA, o Museu Goeldi e a Escola da Biodiversidade Amazônica (EBio/INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia) promovem a Pororoca da Biodiversidade Amazônica no Parque Zoobotânico, com o tema “Conheça os bastidores da ciência”. Trata-se de uma mostra diversificada de projetos, métodos e ferramentas de pesquisa sobre a diversidade biológica da Amazônia e sua relação com as culturais regionais. A programação reúne 20 stands, apresentando as pesquisas desenvolvidas pela Zoologia, Botânica, Ciências Humanas e Ciências da Terra e Ecologia do Museu Goeldi, por vencedores do PJMA e pelas equipes de educação do Museu Goeldi e da Universidade do Estado do Pará. Além disso, haverá mostras de vídeos científicos e ambientais, uma Trilha de Observação de Insetos e uma Oficina sobre Ciência.
Serviço: Pororoca da Biodiversidade Amazônica, dia 5 de junho a partir das 9h no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi.
Texto: Luena Barros

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Museu Goeldi lança o Censo da Biodiversidade

No último dia 18 de maio o Museu Paraense Emílio Goeldi lançou durante o evento "A biodiversidade amazônica no contexto da Rio +20" o Censo da Biodiversidade, uma ferramenta que pretende, de forma colaborativa com diversas instituições de pesquisa, contabilizar e disponibilizar dados sobre as espécies animais e vegetais existentes na região amazônica. Assista ao vídeo e conheça um pouco mais sobre o Censo.


video

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Prêmio Márcio Ayres no Dia da Diversidade Biológica

Estudantes do ensino fundamental e médio acompanham nesta quarta-feira o penúltimo evento da 5ª edição do concurso Jovem Naturalista

Agência Museu Goeldi – No dia 22 de maio (terça-feira) acontece mais um evento do ciclo de atividades que da 5ª edição do Prêmio Márcio Ayres para Jovens Naturalistas – PJMA, uma iniciativa do Museu Goeldi e da Conservação Internacional – CI Brasil. A programação será no Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi – MPEG, das 9h às 11h30.

Desta vez, o PJMA comemora o Dia Internacional da Diversidade Biológica, instituído pela Organização das Nações Unidas - ONU em 1992 para incentivar a conscientização e a valorização dos seres vivos existentes no planeta Terra. A idéia parte do princípio que o respeito aos ecossistemas está diretamente relacionado a proteção do ambiente e da saúde humana. Com os impactos ambientais e as mudanças climáticas decorrentes das ações do homem, os ecossistemas são alterados e as espécies da fauna e flora sofrem com a perda de habitat. A perda de espécies prejudica a manutenção de serviços ecossistêmicos e afeta a sobrevivência da humanidade.

A programação contará com a palestra da Dra. Marlúcia Martins, pesquisadora do Museu Paraense Emílio Goeldi e coordenadora do Programa de Pesquisa em Biodiversidade – PPBio Amazônia Oriental. A palestrante é ecóloga, especialista em entomologia (drosófilas) e conservação de espécies, professora dos Programas de Pós-Graduação em Zoologia (convênio MPEG/UFPa) e Ciências Ambientais (convênio UFPA/MPEG/Embrapa) e coordenadora do projeto “Perda de biodiversidade no centro de endemismo Belém”, do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia. Marlucia apresentará noções sobre a diversidade biológica de nosso planeta e da Amazônia.

Durante o evento serão lançados dois novos episódios da websérie “Naturalistas do Século XXI”, produzida pelo Móvel – Laboratório de Comunicação Multimídia do MPEG, que conta a história de alguns dos vencedores do Prêmio Márcio Ayres e seus processos de pesquisa. Os episódios lançados serão “Conhecimento sob nossos pés: as formigas do Curió-Utinga” e “As garças da Batista Campos: da praça para o resto da cidade”.

O quinto episódio da websérie do Museu Goeldi conta a história dos estudantes Erick Santos, Felipe França e Vitor Leitão, que investigaram a diversidade de formigas existentes na Praça das Castanheiras, localizada no bairro do Curió-Utinga, o mais extenso da cidade de Belém (capital do Pará), onde também se localiza o Parque Ambiental de Belém. Com o trabalho, a equipe recebeu o segundo lugar na categoria ensino fundamental da quarta edição do PJMA.

O sexto websode fala da pesquisa de Kauê Costa, que em 2003 recebeu o primeiro lugar na primeira edição do Prêmio. Por meio da observação das garças residentes na Praça Batista Campos, uma das mais charmosas praças de Belém e um exemplo da Belle Époque, ele pôde ter sua primeira experiência com a pesquisa científica e escolheu a biologia como profissão.

Websérie – “Naturalistas do Século XXI” é uma produção do Móvel – Laboratório Multimídia de Comunicação Pública da Ciência do Museu Goeldi. Dividida em 9 episódios, a série resgata a trajetória de vencedores do Prêmio Márcio Ayres. Você pode conferir os episódios anteriores na página do Museu Goeldi no Youtube.

Em “Um prêmio em quatro edições”, você conhece a história do Prêmio Márcio Ayres e dos jovens naturalistas personagens da websérie; no segundo episódio “Uma amiga injustiçada – a vida da coruja Suindara em Belém”, Marcos Cruz conta como o interesse pelas corujas mudou seu olhar sobre a natureza, desmitificando a lenda Rasga-Mortalha. No terceiro websode, “Um olhar além – as árvores da Praça Batista Campos”, Mariana Galuppo revela quais são as espécies arbóreas de uma das praças mais belas do Brasil. Em “Descobrindo a flora amazônica – as pteridófitas do Parque do Utinga”, Rita dos Santos apresenta uma nova ocorrência de planta encontrada durante a pesquisa para o Prêmio Márcio Ayres.

Prêmio – A 5ª edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas vai encerrar seu ciclo de atividades no dia 05 de junho, e receberá inscrições de trabalhos nas categorias Ensino Fundamental e Ensino Médio até o dia 20 de agosto. Após o término das inscrições, serão avaliados e premiados os melhores trabalhos científicos feitos por estudantes da rede pública e privada de ensino de todo o Estado do Pará, com o tema “biodiversidade amazônica”.

Serviço: Palestra Dia da Diversidade Biológica, com a Dra Marlúcia Martins, 22/05/2012, às 9h, no Auditório Alexandre Rodrigues, Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ação do Prêmio José Marcio Ayres Para Jovens Naturalistas http://marte.museu-goeldi.br/marcioayres/

Texto: Paola Caracciolo

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Websérie Naturalistas do Século XXI - Episódio 5


As formigas, aparentemente, são todas iguais. O que nem todo mundo sabe é que no mundo todo existe uma variedade muito grande da família Formicinae, que se divide em mais de vinte subfamílias. Em uma pequena praça, três estudantes do ensino fundamental, Erick Santos, Felipe França e Vítor Leitão propuseram-se a investigar a variedade de formigas no local e se depararam com oito subfamílias de formigas, uma surpresa para a equipe. O processo de pesquisa destes jovens naturalistas foi registrado no quinto episódio da websérie “Os naturalistas do século XXI”, produzida pelo Labcom Móvel do Museu Paraense Emílio Goeldi.
Erick, Felipe e Vítor prepararam armadilhas para a captura das formigas e durante 24h puderam coletar o total de 68 indivíduos, que foram classificados de acordo com suas subfamílias através das características morfológicas, sendo mais frequente a subfamília Myrmicinae (formiga saúva). A pesquisa rendeu aos meninos o segundo lugar na categoria Ensino Fundamental na quarta edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas, em 2008. Com a pesquisa, a equipe pôde compreender melhor o papel das formigas no meio ambiente e suas relações inter e intra-específicas. Você confere a história desta pesquisa no websode abaixo.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Prêmio Márcio Ayres - atividades de abril

As atividades da 5ª edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas acontecerão no auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi – MPEG (Av. Magalhães Barata, 376), o lançamento de dois novos episódios da websérie Naturalistas do Século XXI e as palestras “Como escrever um trabalho científico” às 9h, ministrada pelo Dr. Horácio Higuchi (CMU/MPEG) e “Planeta Terra e Biodiversidade”, com a Dra. Ima Vieira (INCT Biodiversidade e Uso da Terra na Amazônia/MPEG), às 14h.Participe!

sexta-feira, 30 de março de 2012

Resex Mapuá no Concurso Ecovídeo nas Escolas

A Reserva Extrativista Mapuá (Arquipélago do Marajó), parceira da Estação Científica Ferreira Penna/Museu Goeldi, está participando do Concurso Ecovídeo nas Escolas, da 4ª Semana do Meio Ambiente na TV Escola, que tem como objetivo incentivar a produção de vídeos para educação ambiental baseados nos temas da conferência Rio +20, com a seguinte pergunta: Qual é o seu papel na criação de um mundo sustentável? O vídeo vencedor será o que tiver o maior número de acessos. Vamos ajudar a Resex Mapuá na preservação do Peixe-boi? Basta assistir e compartilhar o vídeo.
A equipe da Escola Municipal da Comunidade Santa Rita - Resex Mapuá criou um jogo educativo para proteger o peixe-boi. Trata-se de um jogo de tabuleiro que traz informações sobre os hábitos do peixe-boi, além de dicas para sua proteção. De acordo com a coordenação do projeto, a ideia consiste na criação de jogos sobre diversos temas relacionados ao cotidiano da escola, para que se brinque aprendendo e aprenda brincando.

terça-feira, 27 de março de 2012

Websérie "Os naturalistas do século XXI" - Episódio 4

Você sabe o que são as pteridófitas? São o grupo de vegetais que tem por característica principal a presença de vasos condutores, que levam os nutrientes da raiz até as folhas. Na natureza, o grupo é representado pelas samambaias e avencas, que são plantas de pequeno porte, muitas vezes utilizadas para ornamentação, e algumas possuem propriedades medicinais. Em 2008, a então estudante do ensino médio Rita dos Santos se propôs a investigar a diversidade dessas pteridófitas na Reserva do Utinga, em Belém do Pará. Essa história você confere no mais novo episódio da websérie “Os naturalistas do século XXI”, produzida pelo Museu Paraense Emílio Goeldi.
No quarto episódio da websérie, intitulado “Descobrindo a flora amazônica – as pteridófitas do Parque do Utinga”, a estudante conta como realizou a pesquisa “Composição florística de pteridófitas em dois fragmentos florestais diferentes na Reserva do Utinga, Belém-PA”, que lhe garantiu o primeiro lugar na categoria ensino médio da quarta edição do Prêmio José Márcio Ayres para Jovens Naturalistas. Com a ajuda de seu co-orientador, o biólogo Ailton Borges, conseguiu identificar 28 espécies de pteridófitas naquela região.
Durante a pesquisa, uma surpresa: a descrição da espécie Pteris tripartita significava a descoberta de uma nova ocorrência de pteridófita no Parque do Utinga, isto é, uma espécie que ainda não havia sido descrita naquela região. Todo o trabalho de pesquisa fez com que Rita se apaixonasse pela área da botânica. Quer saber como ela se tornou uma jovem naturalista do século XXI? Clique e assista.

video

terça-feira, 20 de março de 2012

Prêmio Márcio Ayres inicia atividades em 2012

Você que é estudante de ensino fundamental e médio já pode se inscrever nas atividades da 5ª edição do Prêmio José Márcio Ayres 2012. A partir do dia 22 de março, Dia Internacional da Água, inicia-se o ciclo de palestras e eventos, com a palestra inaugural ministrada pelo Prof. Dr. Luciano Montag, do Programa de Pós Graduação em Zoologia (mantido em convênio entre a Universidade Federal do Pará e o Museu Paraense Emílio Goeldi) e o lançamento do terceiro episódio da websérie "Os naturalistas do século XXI", produzida pelo Labcom Móvel, "Descobrindo a flora amazônica - as pteridófitas do parque do Utinga". 
De tarde, haverá a sessão Ciência no Cinema, com a organização e comentários do Dr. Horácio Higuchi, da Coordenação de Museologia do MPEG, com o filme "A Criação". Confira abaixo a programação do dia 22, e não deixe de participar! 

quarta-feira, 7 de março de 2012

Calendário de Atividades 2012

 
Programação da 5ª edição do Prêmio José Márcio Ayres


MARÇO

Dia Internacional da Água
Data: 22 de Março
Hora: 9h às 11h30
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG


Palestrante: Prof. Dr. Luciano Montag – Programa de Pós-Graduação Zoologia /MPEG e Universidade Federal do Pará

Lançamento: Episódio “Descobrindo a flora amazônica - as pteridófitas do Parque do Utinga” (websérie Jovens Naturalistas do Século XXI)

Sessão Ciência no Cinema
Hora: 14h às 16h
Comentários e Organização: Dr. Horácio Higuchi – CMU/MPEG


ABRIL

Dia do Planeta Terra
Data: 23 de Abril
Hora: 9h às 11h30
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG


Palestra: Planeta Terra e Biodiversidade
Palestrante: Profª Drª Ima Vieira – Coordenação de Botânica/MPEG

Lançamento: Episódios “Conhecimento sob os pés - as formigas do Curió-Utinga” e “As garças na Praça Batista Campos” (websérie Jovens Naturalistas do Século XXI)

Sessão Ciência no Cinema
Hora: 14h às 16h
Comentários e Organização: Dr. Horácio Higuchi – CMU/MPEG
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG

MAIO

Dia da Diversidade Biológica
Data: 22 de maio
Hora: 9h às 11h30
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG

Palestrante: Profª Drª Marlucia Martins – CZO/MPEG

Lançamento: Episódios “Fruto nosso de cada dia – o Açaí em Igarapé-Miri ” e “Três Etapas de uma Busca”  (websérie Jovens Naturalistas do Século XXI)

Sessão Ciência no Cinema
Hora: 14h às 16h
Comentários e Organização: Prof. Dr. Horácio Higuchi – CMU/MPEG
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG

 JUNHO

Dia Internacional do Meio Ambiente
Data: 5 de junho
Hora: 9h às 17h
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG

Pororoca da Biodiversidade – Mostra de coleções, métodos e instrumentos científicos de pesquisa em biodiversidade

Lançamento: Episódio “Entendendo o invasor – os cupins do Acará”
(websérie Jovens Naturalistas do Século XXI)

Sessão Ciência no Cinema
Hora: 14h às 16h
Comentários e Organização: Prof. Dr. Horácio Higuchi – CMU/MPEG
Local: Auditório Alexandre Rodrigues Ferreira, Parque Zoobotânico/MPEG
  
AGOSTO

            Encerramento das Inscrições
Data: 20 de agosto
 
SETEMBRO

            Anúncio dos candidatos finalistas
Data: 19 de setembro
  
OUTUBRO

            Avaliação Oral dos trabalhos finalistas
Data: 5 de outubro

Anúncio dos Vencedores e Entrega dos Prêmios
Data: 6 de outubro



Promoção: Serviço de Comunicação Social/MPEG, MCTI, Conservação Internacional do Brasil, FAPESPA e Ebio.